O que fazer na Califórnia?

Em dúvida sobre o que fazer na Califórnia?

O verão é a melhor época para curtir a Califórnia em sua essência: ao ar livre. Selecionamos 8 programas em Venice e Santa Mônica que os locais adoram – e os turistas também.

Nos cerca de cinco quilômetros entre Santa Monica e Venice Beach, uma variedade enorme de atividades ao ar livre lhe convida a praticar esportes, caminhar e até ser mais saudável. Ou só curtir o clima à beira-mar mesmo.

O trecho entre o píer de Santa Monica e o famoso calçadão de Venice Beach resume bem o espírito californiano. Se sua dúvida é o que fazer na Califórnia, já aviso, é ao ar livre que a mágica acontece.

O culto ao corpo faz parte da rotina deste local, algo natural empurra as pessoas à praia e à beira-mar. No auge do verão no hemisfério norte, é possível que o calor seja exagerado para os visitantes pouco habituados. Evitar os horários de pico pode ser a chave para entender os porquês dos californianos serem tão adeptos de esportes e da vida outdoor.

Logo pela manhã, a luz é a melhor para fotografar as cores do mar, enquanto no fim do dia, o por do sol por trás do pacific park, no píer de santa Mônica, exibe um cartão-postal clássico. O local, aliás, é uma atração por si só – evite os fins de semana, devido às filas quilométricas que se formam para tudo, inclusive para uma unidade da rede de restaurantes Bubba Gump, inspirado no filme Forrest Gump e especializados em camarões.

A fama californiana de cuidar do corpo veio à tona na década de 50. Porém, a moda contemporânea de se alimentar bem e exibir-se nas redes sociais encontrou na Califórnia uma zona fértil. É selfie para todo lado, fazendo as mais diversas atividades. A paisagem ajuda, é claro. Para tirar suas selfies ou apenas desfrutar da vida ao ar livre, listamos 8 atividades para curtir o verão californiano como um local, aproveitando cada minuto de sol e tempo seco. Prepare o seu protetor solar, sua roupa leve e seu tênis esportivo.

1 – De bicicleta, um clássico

Pedalar é o jeito mais tradicional de desbravar o trecho entre Venice e Santa Mônica. A vantagem de fazer um tour guiado é que um guia pode levá-lo por cantinhos menos manjados e contar histórias imperceptíveis a olho nu e desavisado. Por outro lado, a desvantagem de seguir um grupo pode ser justamente não escolher onde parar para tirar a melhor foto, tomar um suco ou comer um wrap apetitoso.

Alugue a bike com cadeado, assim você fica livre para passear por lojinhas de souvenir e repor as energias sem estresse. Não se preocupe, o trajeto é praticamente todo plano. Os românticos podem se aventurar (ou se equilibrar) em bicicletas duplas, e famílias podem alugar triciclos com bancos para os pequenos. A rota mais clássica para pedalar é a Marvin Braude Trail, caminho à beira-mar de 35 quilômetros que leva até Torrance, passando por venice e Marina Del Rey.

Onde: A partir de US$ 15 ao dia na SM Bike Rental.

2 – Sobre as ondas

Que tal deslizar sobre sua primeira onda no oceano pacífico? Há uma infinidade de escolas de surfe. A maioria com bons instrutores e aluguéis de prancha (desde US$ 35 por dia na Rider Shack) e de roupas de neoprene. Sim, a água é fria o ano todo.

As melhores ondas quebram mais pertinho do píer de Santa Monica e algumas escolas oferecem um serviço de fotografia para você levar registrado o momento. Na maior parte do ano as condições são propícias para iniciantes, mas vale sempre conversar antes com a escola para confirmar a previsão do tempo para os próximos dias. Em pouco tempo você ganha confiança e estará vivendo a vida sobre as ondas.

Onde: Desde US$ 130 para uma pessoa a aula de 2h na Santa Monica Surf School.

3 – Pelos ares, como no circo

A mais de 8 metros de altura, balançando num trapézio, dá até para esquecer do oceano logo ali do lado. Tampouco se pensa que o chão, logo abaixo da rede de proteção, são as tabuas do píer Santa Monica. Não há lona cobrindo o espaço: as aulas de trapézio ocorrem sob o céu azul (ou mesmo nublado).

A experiência é quase transcendental. Primeiro, aprende-se os comandos para, em seguida, superar o medo de se jogar no vazio. Depois, é preciso dominar o balanço e confiar na força dos braços. Tudo com um cinto, preso por cordas e mais a rede lá em baixo. Ainda assim, a cabeça apaga o contexto e foca apenas na atividade. É necessária muita concentração! Após habituar-se ao balanço, chega na hora de ficar de ponta-cabeça em movimento. Até o gran finale: soltar-se do trapézio e agarrar as mãos do instrutor no trapézio da frente. Um lindo jogo de balé, em que é preciso sincronia e atenção. Você não esquecerá da dor na musculatura abdominal nos dias seguintes. Mas terá valido a pena.

Onde: A partir de US$ 55 por 2 horas de aula na Trapeze School.

4 – Deslizar no concreto

Se no mar você pode demorar um pouco mais para evoluir, no asfalto a coisa ganha outro contorno (embora as quedas sejam mais doloridas). Mais precisamente no Venice Skate Park, uma das pistas de skate mais famosas do mundo – e o melhor, pública. Observar skatistas profissionais e amadores habilidosos só fará a sua técnica melhorar. E alguns desses mesmos skatistas dão aulas particulares. Afinal, você está na área que nasceu o skateboard. Agora, se quiser só alugar um skate para andar no calçadão, a Maui and Sons cobra US$ 5 por hora.

Onde: A partir de US$ 47 a hora/aula, com equipamento e instrutor particular na Go Skate.

5 – Músculos à vista

Demora um pouco para entender porque o trecho mais famoso de Venice foi apelidado de Muscle Beach. Num cercado de grades metálicas, uma série de aparelhos de musculação somada aos coqueiros do calçadão e aos seres humanos mais sarados que você já viu compõe um cenário quase surreal. Porém, é verdadeiro e está ativo desde a década de 1930, quando se estabeleceu ali uma das primeiras academias ao ar livre dos EUA.

Há pesos para intensidades variadas e toda sorte de aparelhos, de pranchas e mesas flexoras a cadeiras extensoras e supinos. Caso queira apenas manter seu treino básico, no trecho mais próximo a Santa Monica, também sobre a areia, barras e argolas dão conta do recado.

Onde: A partir de US$ 10/dia ou US$50/semana em venicebeach.com/muscle-beach-gym/

6 – Mente e corpo zen

Embora silêncio não seja o forte por ali, muitos grupos se reúnem para praticar yoga e meditação na praia ou em gramados próximos entre Santa Monica e Venice. Fazer exercícios com outros instrutores, em outra língua e num ambiente completamente diferente ajuda a expandir as habilidades de quem já pratica. Mas para os iniciantes, é bom para descobrir uma nova atividade física. O yoga utiliza os benefícios da respiração aliado com resistência física e concentração.

Onde: A partir de US$ 12/hora de aula.

7 – Bate-bola

Numa terra onde a NBA disputa com o futebol americano o título de esporte nacional, o basquete é quase sagrado. Ainda mais no território dos Los Angeles Lakers, o espirito basqueteiro é quase como o da pelada para nós, brasileiros.

Em Venice Beach, você pode se programar para ir a algum dos treinos que ocorrem mais para o fim do dia. Mas a melhor ideia é ir sem planos, cercar algum grupo e esperar a sua vez de arriscar uns arremessos. Caso esteja com amigos, há um quiosque onde é possível alugar uma bola – leve documento original. Se estiver fora de forma, ao menos o cenário é bem melhor do que o de qualquer ginásio.

Onde: detalhes em venicebeach.com/handball

8 – Uma caminhada por Venice

Os tours guiados a pé percorrem as velhas ruas e canais de Venice Beach. Afinal, alguma semelhança com a Veneza italiana haveria de ter (Venice é Veneza em inglês). É preciso se esforçar bastante para encontrar similaridades. Mas isso não tira a graça e o charme das casinhas claras com delicados jardins, entre pontes e vielas.

Onde: A partir de US$ 35 o tour de duas horas na Bikes & Hikes LA.

➡ QUIZ: Descubra o seu destino ideal!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *